Skip to content

Dança comigo?

26/01/2011

Nathalia Triveloni

Não há espelhos, nem vestido de baile. Mas o frio na barriga tá aqui. Ele é fruto daquela sensação que temos quando nos aproximamos da pessoa por quem estamos apaixonados de longe e perguntamos: Você quer dançar comigo?

Meu destino não é nenhuma dança, mas existe uma pessoa. Com um “dois pra lá, dois pra cá”, desembarco em Nova York. Cada passo carrega um pouco de esperança neste dia nublado. Chegando ao meu destino, eu o encontro. Terno cinza escuro, andar elegante, o chapéu charmoso também marca presença.

Ok, eu confesso. Estou preparada para uma resposta negativa, mas não tenho ideia do que fazer se um sim eu ganhar. Respiro fundo, desacelero meus passos e timidamente pergunto: Gay, você gostaria de conversar comigo?

Seu rosto se volta para mim. A pesada porta com arabescos de seu prédio que ensaiava uma abertura se fecha. Com um sorriso seletivo eu ouço: Mas é claro!

E assim, Gay Talese e eu vamos juntos saborear um expresso. Ele nem pergunta meu nome, mas o que importa? A vida anônima sempre nos encantou. Chegamos ao seu restaurante preferido e, galanteador, ele troca o pedido. Hoje é um dia especial. No lugar do café, ele pede um vinho e eu o acompanho, afinal não é todo dia que brindamos com Gay Talese. Ele também pede um suculento raviole que educadamente recuso.

Na espera de nossos pedidos, começo a falar sobre como eu acho suas palavras arrebatadoras e como também não me sinto só neste mundo. Finalmente, encontrei alguém que se apaixona pela história de perdedores e acha os vilões sempre mais interessantes. Neste momento, olha pra mim e diz: Eu sei como é difícil gostar do diferente.

Vamos compartilhando nossas confissões. Conto que, assim como suas primeiras histórias surgiram entre os tecidos e tesouras do comércio de seu pai, as minhas brotavam dos aromas de perfumes da loja de minha família.

Ele também não deixou de reparar que eu uso um chapéu. Gostamos dos mesmos sinais da elegância e neste momento, me dá um conselho:

Pontue teus textos com a mesma elegância que você dá seus passos.

Abro um sorriso. Ao fundo, uma música italiana toca. Reza a tradição da Itália que só devemos compartilhar a mesa com quem confiamos. Neste momento, somos cúmplices. Me sinto íntima, converso sobre nosso ofício, aprendo com ele. A esta altura, já o chamo de Gáy, isso mesmo, Gáy, de Gaetano. Como ele sempre deveria ser.

Percebo que as horas voam. Tenho que partir. Me despeço, ele fica e eu vou, levando o beijo na alma, a transformação vinda de quem inspira. Antes, tomo a liberdade de convidar este senhor de 78 anos com olhar de menino a me acompanhar em um passeio. Ele aceita.

O dia amanhece e eu chego ao Central Park. Caminhamos juntos, com nossas roupas diferentes do clothingstyle de quem coloca o corpo em forma. Colocamos nossas palavras em exercício, neste espelho de “Eu era“ e “eu serei”, vamos dançando ao sabor de histórias. Ele decide parar. Diz pra mim algo muito precioso:

As pessoas são diamantes, diamantes brutos. Cabe a nós lapidá-las, trazer o brilho que elas nem sabe que têm. E por que não mudarmos vidas?

Me despeço de Gáy, carregada de música. Talvez, um dia eu tenha sentado em minha cama, aberto minha tela mental, projetado meu encontro com Gáy. Talvez, eu tenha pego um trânsito absurdo para chegar ao Morumbi e decidi passar meu tempo um pouco mais com ele. Quem sabe?

Só sei que meu jardim da criatividade foi um restaurante, lugar que eu adoro, e que Gáy Talese sentou à mesa comigo. Compartilhou este momento, me presenteou com o pão da vida e o vinho da inspiração. Gáy dançou comigo.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Mauricio Araujo permalink
    27/01/2011 10:02

    Belo texto e experiência inspiradora. Parabéns.

  2. 27/01/2011 10:38

    Na dança, somos nós a materia prima, tinta da aquarela, repertório de palavrórios, equilíbrio de enquadramentos.

    Eu só acreditaria num Deus que soubesse dançar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: